Ave colonial

FELIPE LIMA

20 jan, 2021

“Aqui, meu irmão, ela é coisa rara de ver!”

Começo esse artigo citando o grande João Bosco, com essa belíssima canção, Jade. No entanto, a verdade é que a música nada tem a ver com o que vem a seguir, embora, isso sim, a minha ave colonial também seja coisa rara de ver por aí!

O que tentei fazer, evidentemente, foi recriar um clássico estilo de retratos da época colonial − e até de antes – com uma ave lúdica e de sorriso algo maroto. A técnica utilizada foi a aquarela.

Gosto de desenhar aves, não sei bem por quê. E não que eu saiba desenhá-las. Não sei, como pode facilmente se notar, porém, desse jeito qualquer-nota, vou levando. Talvez, parte dessa inspiração possa ter vindo do artista catarinense Lindner, de quem tenho um quadro que me foi dado pelo meu avô, em idos de 2016. Elogiadíssimo, orna minha parede até hoje.

Ave do artista Lindner, 2016

★ ★ ★

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.